Atenções básicas para um churrasco

Churrasqueiros que ficaram famosos por seus talentos afirmam que a partir de uma mesma peça de carne podem-se obter resultados variados. Extrair a suculência do produto, atingir a maciez ideal e o sabor irresistível é uma arte, que nem todos dominam.

A escolha de carnes de boa procedência é fundamental, lembrando que a carne de vaca deve ser evitada, por ser consideravelmente mais dura. Todas as técnicas e procedimentos para torná-la mais macia não terão resultado e o sucesso da refeição ficará comprometido. Outra etapa importante diz respeito às peles que envolvem a carne, cuja retirada é um importante item e ignorar essa etapa pode contribuir para o endurecimento do assado.

Com relação aos acompanhamentos, a mistura de culturas do sul do país, deixou marcas facilmente identificável: a introdução do hábito de servir lingüiças, carne de porco e salada de batatas provém dos imigrantes alemães. Os italianos trouxeram o churrasco de frango, a polenta e o uso de folhas de agrião e rúcula. Hoje, alguns desses itens fazem parte do cardápio das principais churrascarias do Brasil.

Assim, passou a ser costume servir a lingüiça como entrada, uma vez que o produto grelha mais rápido sendo a solução ideal para saciar a vontade dos mais famintos. O frango, que também consome menos tempo para assar, geralmente chega antes, atendendo ao público infantil, que costuma ser mais impaciente.

Cada região ou pessoa pode imprimir seu estilo ao ritual do churrasco, porém é unanimidade nacional que o melhor acompanhamento para saborear uma boa carne é um grupo de amigos ou familiares. Talvez um dos maiores atrativos da refeição, além da carne, seja o toque de festa e a descontração que o ato de “churrasquear” sugere.

Fonte: http://www.nutrinews.com.br